• WCorp Software

5 dicas de como abrir seu negócio e lucrar desde o início


Se você chegou a este conteúdo é porque está na hora de saber como abrir uma empresa, por isso nós vamos te auxiliar a realizar essa etapa tão importante da sua carreira profissional e também pessoal.


Depois de ler esse blog, você estará pronto para abrir o seu próprio negócio! As dicas práticas que vamos passar vão tratar dos principais pontos que devem ser pensados antes de começar um negócio.

Importante dizer que focaremos apenas nas questões que realmente impactam na abertura de uma nova empresa. Então, aproveite esse blog para tirar as suas principais dúvidas.


Como abrir uma empresa: Plano de Ação

O plano de ação é um documento muito importante para determinar as etapas e os responsáveis de um projeto, que neste caso, se trata da criação de um novo CNPJ.

Logo, a formalização do seu empreendimento e o registro do seu negócio requer o cumprimento de alguns passos até que você consiga iniciar as atividades do seu estabelecimento.


Em geral, para abrir uma empresa, o processo passa por esses passos:

1). Estabeleça o formato de negócio e o nome da empresa;

2). Defina o tipo de empresa para abrir;

3). Determine a sociedade empresarial do negócio;

4). Decida as atividades que vai exercer (os CNAES);

5). Saiba definir o regime tributário.

Esses passos serão detalhados dentro das dicas a seguir. Acompanhe!


Dica 1: Estabeleça o formato de negócio e o nome da empresa

O nome da sua empresa pode ser pensado de alguns jeitos, como por exemplo, algo que seja relacionado ao tipo de produto/serviço oferecido, a um nome tradicional de família, etc. Aqui, basta usar a criatividade e, é claro, não usar nenhum nome de outra marca já existente. Quanto ao modelo, existem diferentes tipos de negócios. O ideal, então, é você procurar um que se enquadre ao seu objetivo, que atenda seus clientes e que permita o crescimento da empresa. Veja as opções:


Assinatura

É um tipo bem tradicional, que consiste na concessão de produtos ou serviços de acordo com o pagamento de uma taxa mensal/anual.


Franquia

Caracteriza-se por um modelo em que há a distribuição e venda de produtos, a qual se baseia no ato de poder comercializar um determinado produto de uma outra instituição (geralmente tradicional e conhecida). Nesse formato, deve-se seguir à risca as regras da empresa franqueada.


Marketplace

No marketplace, os grandes varejistas alugam um mercado menor para que outros vendedores usem esse espaço para vendas, podendo ser uma loja física ou online.


Economia colaborativa

Consiste na ligação de interesses econômicos de negócios que se unem pelos seus produtos ou serviços, passando a ofertar uma rede de soluções para os consumidores.


Importante: Contrate um contador confiável

Depois que você já analisou o mercado, estudou os gastos iniciais e escolheu o nome e formato de negócio, é hora de escolher um escritório de contabilidade com experiência na abertura de pequenas e microempresas.

Esse profissional será responsável por dar abertura ao processo, explicando cada passo a ser tomado em relação aos documentos e requisitos necessários sobre como abrir o empreendimento.


Dica 2: Defina o tipo de empresa para abrir

Os tipos de empresa mais conhecidos e comuns são o MEI, a Microempresa – ME e a Empresa de Pequeno Porte – EPP.

O MEI é a mais simples das categorias, porém tem limite de faturamento e funcionários. Já a ME e EPP as possibilidades de expansão são maiores. Descubra qual empresa se enquadra melhor à sua realidade:


Microempreendedor Individual – MEI

O famoso MEI é um porte empresarial criado pelo governo federal, com o objetivo de formalizar os pequenos negócios dos trabalhadores até então autônomos.

Pagando por volta de R$60, 00 por mês, você adquire um CNPJ, paga contribuição para o INSS e nem sempre precisa emitir nota fiscal (somente se a venda for para outra empresa).

Por lei, o MEI não precisa ter um contador para abertura da empresa.

Entretanto, o MEI possui suas limitações e só pode ser exercido por algumas categorias profissionais. Por exemplo, médicos, designs e advogados não podem abrir uma empresa MEI. No MEI não pode haver sócios, pode-se contratar apenas um funcionário CLT e o faturamento anual permitido até o momento (outubro/2021) é de R$81 mil.


Microempresa – ME

A ME tem mais possibilidades: você pode ter mais sócios, ganhar até R$360 mil por ano e fazer parte do Simples Nacional, um sistema de tributação do governo federal que unifica oito impostos em uma guia única mensal, a DAS. Lembrando que o Simples Nacional (que veremos adiante) é um regime tributário, enquanto que a Microempresa – ME se refere a um dos portes do seu novo negócio.


Empresa de Pequeno Porte – EPP

Uma EPP pode faturar entre R$ 360 mil e R$ 4,8 milhões ao ano.

Somente esse porte de empresa mais a Microempresa – ME, podem ser pertencentes ao regime do Simples Nacional.


Em algumas empresas: consiga a Inscrição Estadual ou Municipal

De acordo com alguns tipos de empresa, é preciso fazer a Inscrição no estado ou município. Isso depende se é serviço ou comércio.

Se for um negócio que trabalha com prestação de serviços, deve ser pedida a Inscrição Municipal. Já se for um estabelecimento que trabalhe com comercialização de produtos, a Inscrição Estadual é que deve ser solicitada.


Dica 3: Determine a sociedade empresarial do negócio

A natureza jurídica diz respeito aos tipos de sociedade empresarial existentes no Brasil. Ela se constitui como a organização da empresa: quem são os seus sócios, participação de cada um no negócio, investimento inicial, entre outros pontos.


As principais sociedades empresariais usadas na abertura de uma nova empresa são:


Empresário Individual – EI

Nesta modalidade, você não pode ter sócios, ou seja, você é o único titular da empresa.

Aliás, caso haja endividamento, seus bens pessoais podem ser comprometidos. Logo, é importante pensar bem! No EI não é exigido capital mínimo para abertura, mas é bom garantir um valor razoável para que as atividades sejam iniciadas com segurança.

Lembrando que médicos, dentistas, advogados etc., não podem abrir empresas como empresário individual, conforme estipula a legislação.


Empresa Individual de Responsabilidade Limitada – EIRELI

Na EIRELI, você também é o único sócio da empresa, mas a diferença é que em caso de dívidas, as suas propriedades pessoais não são afetadas.

Além disso, o capital mínimo de investimento inicial é de 100 vezes o salário mínimo vigente (em 2021, esse valor é de R$110 mil). Outra coisa: se acontecer algum endividamento, esse capital deverá estar disponível para liquidação dos débitos.


Sociedade Limitada Unipessoal – SLU

A Sociedade Limitada Unipessoal foi criada em junho de 2019 e é atualmente a opção mais escolhida por aqueles que querem abrir um empreendimento sem sócios e que desejam ter seus bens protegidos. De maneira geral, ela reúne o melhor das outras sociedades jurídicas: não requer capital mínimo para iniciar, não há risco do patrimônio particular ser atingido e as profissões regulamentadas têm permissão para exercer suas atividades nesse formato.


Sociedade Limitada – LTDA

Na Sociedade Limitada, a famosa LTDA, dois ou mais sócios acumulam moeda ou bens avaliáveis em dinheiro para formar o capital inicial.

O interessante aqui, é que a participação dos sócios varia de acordo com o valor do capital investido. Esse valor também é mínimo, ou seja, não há uma exigência de um valor X para os sócios. Então, como saber qual a melhor opção? Isso vai depender do tipo de atividade desenvolvida por você e/ou seus sócios, assim como do que é melhor para seu negócio. Neste caso, um contador pode ajudar nessa decisão.


Atenção: Elabore o contrato social junto dos sócios

O contrato Social funciona como uma certidão de nascimento da empresa. O mesmo contém todos os dados básicos da organização.

Nos negócios que existem uma sociedade, esse documento é exigido tanto na abertura, como nas operações públicas, como as licitações.

Após elaborar o contrato social, é hora de juntar a documentação solicitada pelo contador e registrar seu CNPJ na Junta Comercial ou Cartório. O local vai depender da atividade exercida.

Depois, com o CNPJ em mãos, é momento de verificar se sua empresa requer alvará de funcionamento, uma vez que nem todos os negócios exigem esse documento. Se precisar, o local a ser pedido é a prefeitura.


Dica 4: Decida as atividades que vai exercer (os CNAES)

Os CNAES – Classificação Nacional de Atividades Econômicas são códigos que especificam o tipo de trabalho exercido por uma empresa/profissional.

A escolha adequada das atividades do seu negócio é um passo essencial para que os serviços que você planejou inicialmente sejam alcançados.

Informe os seus objetivos ao contador para que ele direcione qual o melhor CNAE para sua atividade profissional. Até porque, você pode ter um CNAE principal, e junto dele, pode adicionar mais outros CNAES, isto é, um será o principal e os outros, os secundários.

O CNAE principal deve ser, preferencialmente, o que representa a maior fonte de renda do empreendimento.


Dica 5: Saiba definir o regime tributário

A escolha do regime tributário é de suma importância para seu negócio, pois isso determina que você não pague mais do que deve, evitando perdas no faturamento.

Em geral, a primeira opção para novas empresas é o Simples Nacional, mas em todos os casos, o contador é quem auxilia a decidir o melhor regime.


Simples Nacional

Esse regime reúne diversos tributos em uma guia mensal, a DAS. Por ele, os impostos são calculados conforme a atividade da empresa.

O Simples Nacional é o regime mais simplificado, com carga tributária menor e menos obrigações fiscais.


Lucro Real

Nesse regime, alguns impostos são cobrados de acordo com o lucro obtido.

Depois dos ajustes e compensações, o lucro é tributado.

Algumas empresas são obrigadas a se enquadrarem no Lucro Real e ele tem as guias de tributos recolhidas separadamente.


Lucro Presumido

No Lucro Presumido, o pagamento de impostos não é unificado, já que possui cinco ou mais guias para pagamento. O Lucro Presumido calcula o IRPJ e CSLL de acordo com uma estimativa de lucro firmada pela Receita.


Depois de formalizar seu negócio, não deixe de contar com o WCorp, um software de gestão para diversos tipos de empresas. Conheça nosso software e faça um teste gratuito por 15 dias!

13 visualizações0 comentário